Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

LAGO SEM CISNES


A brisa solitária tocava meu rosto com delicadeza
Enquanto olhava as águas serenas
Tentando esquecer a sensação que ficou entre mesas
Que balançavam quando ofuscadas por sua beleza

Brisa que exalava o perfume das flores que margeiam
Nossas vidas nos dias de tristeza sem gangorra para balançar
Saboreando a melodia sutil que penetra em nossa alma
Misturando a desilusão com a certeza que não poderá amar

Brisa sem cisnes para deslizar
Entre a linha tênue da desesperança
Que limita seus passos
Para não abraçar

Brisa sem o esplendor das estrelas
Céu que escureceu o lago deserto
Sem lírio
Sem cisne ou amor por perto

Brisa que insiste durante a névoa
Que não adianta sonhar com o amanhã
Quando o amanhã não existe
E se esconde no fundo do lago

15 comentários:

  1. "Brisa que insiste durante a névoa
    Que não adianta sonhar com o amanhã
    Quando o amanhã não existe
    E se esconde no fundo do lago"
    Brisa que trazem os pensamentos que insitem em imaginar sonhos de um amanhã que não existe mas que está vivo guardadinho no coração.
    Arnoldo,lindo poema,
    Beijo
    amigo poeta

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente fantástico! Fiquei sem palavras.

    Meu carinho!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. BOA NOITE
    AROLDO
    EU CHEGANDO AQUI PELO PRIMEIRA VEZ E AMEI O BELO TEXTO. SE VC ME PERMITIR GOSTARIA DE VOLTAR. AGUARDO SUA VISITA. ISSO SE VC QUISER É CLARO. UMA BELA SEMANA REPLETA DE MUITA LUZ.
    BRISA

    ResponderExcluir
  4. nem da vontade de comentar pra continuar no extase da beleza, na sensaçao gostosa que fica meio amor meio nostalgica...mais uma lida poesia para delirio do leitor...bjuuu poeta

    ResponderExcluir
  5. Com toda a beleza, o poema me passou nostalgia. Ela inspira os poetas mas carrega um certo desencanto.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Cada amigo que me aparece é mais uma estrela no meu céu, adoro a sua escrita, seus blogues são maravilhosos.
    Haja quem os venha conhecer e dar-lhe o valor merecido, voltarei mais vezes para deleite dos meus olhos e conforto do meu espírito, beijinhos de luz, paz e muito amor

    ResponderExcluir
  7. AH!Mas com certeza haverá algum cisne para navegar, em águas cintilantes em um outro horizonte. A lágrima pode durar uma noite mas a alegria vem ao amanhecer. (SL30,5)...e com certeza voltarás a viver. Olha para o céu e veja, o azul sempre aparece após uma tempestade. Lindos versos, mas tristes...bjim

    ResponderExcluir
  8. Arnoldo,triste mas delicada e apaixonada poesia!Como ficou linda!Adorei!Bjs,

    ResponderExcluir
  9. Arnoldo esta tua poesia é bela muito bela ao mesmo tempo que triste, mas as mais lindas obras são exatamente feitas quando o coração do artista está sangrando, mas espero que não seja o caso, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  10. Nostalgico mas lindo como sempre!
    Com o seu jeito unico poetisar!


    Beijos,beijos!

    ResponderExcluir
  11. Maravilhoso...
    Profundo e encantador.
    Poema um tanto quanto reflexivo
    e ainda que se queira desistir do amor,
    ele está carregadinho dessa essência
    que paira no coração de todos...

    Lindo de viver...

    Feliz fim de semana pra ti

    bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  12. Entrar no site e dar de cara com este poema maravilhindo, foi/é uma delícia.♥/

    Brisa que insiste durante a névoa
    Que não adianta sonhar com o amanhã
    Quando o amanhã não existe
    E se esconde no fundo do lago..

    Parabéns.... Amado Poeta..♥/



    Beijos de admiração .


    Darlene Alves...(",)

    ResponderExcluir
  13. Óh, que lindo!
    As vezes sentimos que nos falta alguma coisa... mas não sabemos o que.
    Simplesmente maravilhoso!
    Gostei muito e virei sempre aqui.

    Convido-lhe para visitar meu blog, ler e comentar a última parte de contos "Ser Escritor". Irá se surpreender.
    Siga se gostar; sigo de volta, só da um toque.
    (paulobouvier.blogspot.com)

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  14. Estimado e Genial Amigo:
    "...A brisa solitária tocava meu rosto com delicadeza
    Enquanto olhava as águas serenas
    Tentando esquecer a sensação que ficou entre mesas
    Que balançavam quando ofuscadas por sua beleza..."

    Um poema sublime de rara beleza e pureza.
    Fabuloso.
    Deixa-me sem palavras dado o encanto de versos sublimes e puros.
    Abraço amigo de respeito pela grandeza de ser um Ser Humano fantástico é de imensa significação poética e pessoal.
    Sempre a admirá-lo

    pena

    Honra-me, a sua amizade.
    Parabéns sinceros.
    Adorei.
    Bem-Haja, admirável amigo mágico no que cria.
    É divinal.

    ResponderExcluir
  15. Calma tudo tem geito
    nessa vida.
    Não faz sentido perder o juiso
    se hontem nada deu certo.
    Se você tem fé ..Tem Amor
    mais nada vai bem contigo.
    Alguma coisa ainda te falta
    consulte no fundo do seu coração
    algo que sem perceber você deixou de lado.
    Deus sabe quanto agradeço por ser sua amiga.
    Um abençoado final de Domingo.
    Bjs no coração,Evanir.
    Eu Amo..Amar Você

    ResponderExcluir